sexta-feira, 28 de outubro de 2011

História do Povo Asteca

Quando Cristóvão Colombo chegou à América, ela não era despovoada: existiam aqui muitos povos desconhecidos, alguns muito evoluídos e que construíam grandes cidades. Embora Cristóvão Colombo não tenha entrado em contato com eles, são chamados povos pré-colombianos (todos os povos que viviam na América antes da descoberta de Colombo). Um desse povos, encontrados pelos espanhóis no Vale do México, perto do lago Texcoco, foram os astecas.
Descobriu-se depois que são originários do norte, e invadiram uma cidade já existente no local, teotihuacán, dominaram seus construtores e se tornaram os donos do lago. Eram guerreiros sanguinários, e seus rituais religiosos incluíam vítimas humanas.
Construíram, numa ilha do lago Texcoco, uma cidade que ficou sendo a capital asteca: Tenochtitlán. Tinha grandes templos, pirâmides cheias de escadas, ruas pavimentadas e grandes arcos de pedra. Para as plantações de mandioca, cacau, algodão, fumo e outras, usavam um sistema de irrigação bastante adiantado, com aquedutos e canais por onde transitavam barcos. Como todos os outros povos pré-colombianos, os astecas não conheciam o local.
Tinham uma escrita bastante complicada, um calendário baseado no ano solar de 365 dias, e conhecimentos de astronomia que assombraram os cientistas modernos.
O povo era organizado em classes sociais, com nobres, soldados, comerciantes e trabalhadores, e praticavam o comércio com outros povos. Havia escolas militares, religiosas e profissionais para as diversas classes sociais.
Fernão Cortez dominou os astecas em 1519, fazendo-se passar pelo deus branco que era esperado pelo povo. Os últimos reis astecas foram: Itzcoatl e Montesuma. A capital asteca foi destruída, e em seu lugar surgiu a cidade do México, onde se vêem ainda sinais da grande civilização que a precedeu.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário